Desanimar ou seguir em frente. Eis a questão.

Eu creio e acredito em Deus. Já fui muito religioso. Quando mais novo, fiz todo o catecismo e cheguei, inclusive, a cogitar a possibilidade de entrar  para o seminário e me formar padre. Depois, passei a frequentar igreja evangélica onde quase fui ordenado pastor. Mas afinal, o que quero dizer com isso? Que acredito no poder soberano de Deus. Mas também acredito na existência do mal, personalizado na pessoa de Satanás e seus demônios. E acredito que quando não estamos com Deus, estamos vulneráveis aos ataques do diabo.

Por outro lado, sei que nem tudo é influência do maligno. A lei a ação e reação é verdadeira. Nossas escolhas, nossas atitudes, nossas ações, tudo acaba tendo uma reação, seja para o bem, seja para o mal. Onde quero chegar com toda essa prosopopeia? Vamos lá, sem mais rodeios…

Tenho vivido dias nunca antes imaginado. Dias difíceis. Falta grana, falta cumplicidade em casa, falta tudo. No momento que escrevo este post, por exemplo, falta dinheiro para comprar um pão. Sabe faltar grana de verdade? Então, é isso… As contas se amontoam e as perspectivas de entrada de dinheiro para pagá-las são as piores possíveis.

Eu trabalho, tenho uma mini-micro empresa, se é que posso chamar assim. Atendo meia dúzia de clientes que me garantem um mínimo possível ao mês. A esposa começou a trabalhar estes dias, o que vai dar um certo alívio, mas a média prazo. Mas a situação é assim: não consigo render no meu trabalho como gostaria, com isso não consigo tentar novos clientes. Hoje atendo um cliente que consome 90% do meu tempo e me garante 50% da minha renda, e não vejo meios de me livrar dele. Ah, tem um detalhe: ele me paga como quer, quando quer.

Some-se a isso a falta de planejamento financeiro da minha parte (sim, tenho que reconhecer!) e as merdas começam a acontecer. Quem diz que dinheiro não traz felicidade, não sabe a tristeza que a falta deste traz.

Então, a situação hoje é a seguinte: estou literalmente sem saber o que fazer. Por que todo aquele discurso religioso no início, então? Vamos lá. Eu estou afastado de Deus há anos. Hoje eu sei que ir à uma igreja não representa, necessariamente, estar junto de Deus. Mas nem isso, nem em casa eu tenho tido momentos de oração, de comunhão com Deus. E isso faz com que eu fique vulnerável. É Deus me castigando? Não, mas reações naturais da distância d’Ele. As coisas não funcionam direito ou melhor, nada tem dado certo. E com isso o desânimo só aumenta.

Vou abrir um parêntese rápido aqui pois quero tocar neste assunto mais a fundo em outra ocasião.

Eu sinto um desejo muito grande de voltar para igreja e me dedicar ao trabalho religioso, mas uma coisa que me incomoda e que eu jamais me proporia a isso, é realizar qualquer coisa em nome de Deus por dinheiro. Porque isso? Por que seria mais “fácil” me aliar a alguma dessas igrejas e ganhar algum trocado abusando da fé das pessoas. Mas isso não faz parte de mim, ao contrário, eu combato essa heresia com todas as minhas forças.

As vezes chego a pensar que, de certa forma, toda essa turbulência que tenho vivido é uma forma de Deus me falar que estou no caminho errado. Sei lá…

Então, para finalizar que este texto já ficou muito grande, a minha situação é a seguinte: não sei o que fazer. Desanimar, ou seguir em frente?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s